Maestro recebe aporte de R$ 21,2 milhões de sócios - Maestro Frotas




Maestro recebe aporte de R$ 21,2 milhões de sócios

Por Vinícius Pinheiro | De São Paulo

Lewkowicz, da Maestro, que atua em terceirização de frota: recursos podem ser usados para crescer com aquisições Pouco mais de dois anos após receber um investimento da gestora de fundos Stratus, a Maestro, empresa de terceirização de frota de veículos, obteve um novo aporte de capital dos sócios. A companhia recebeu mais R$ 21,2 milhões em recursos na capitalização, liderada pelo fundo, que desde 2011 é o principal sócio da empresa.

Em um mercado extremamente fragmentado, com 2,6 mil empresas em operação, a Maestro pretende usar os recursos para acelerar o crescimento. E uma das alternativas é por meio de aquisições, segundo Fabio Lewkowicz, fundador e presidente da companhia, que já contratou três assessores externos em busca de potenciais negócios.

O aporte de capital também dará fôlego para o crescimento das operações independentemente de aquisições, diz o executivo. O objetivo é ampliar a frota de 3 mil para 5 mil veículos nos próximos dois anos. A companhia pretende criar um portal de vendas na internet, com o objetivo de ampliar os negócios e, por consequência, conseguir elevar os preços dos veículos usados.

A Maestro registrou faturamento de R$ 55 milhões no ano passado, um crescimento de 25% em relação a 2012. Embora ainda seja relativamente pequeno, trata-se de um negócio com margens elevadas, de acordo com Lewkowicz. Ele não releva os números específicos da empresa, mas diz que o setor possui uma margem na geração de caixa (Ebitda) da ordem de 60%.

A receita do segmento de locação de veículos como um todo registrou expansão de 4,7% em 2013. Nos últimos oito anos, o setor cresce a uma média de 11% ao ano, e com espaço para crescer, segundo o executivo. A estimativa é que menos de 10% da frota das empresas hoje seja locada, patamar muito inferior ao de outros países. “O setor está apenas engatinhando”, afirma.

No caso específico da Maestro, o crescimento vem de uma mudança na atuação nos últimos anos. A empresa, que presta serviços exclusivamente empresariais, passou a atender setores que possuem uma melhor rentabilidade, como os de alimentos e farmacêutico, e também aumentou o valor médio da frota e do aluguel, diz. A companhia buscou ainda uma maior eficiência com a redução no prazo de venda dos veículos usados.

Criada em 2007 a partir do Grupo Aba, rede paulista de concessionárias de automóveis, a Maestro cortou o “cordão umbilical” após a entrada da Stratus, em 2011, segundo Alberto Camões, sócio da gestora. A empresa também criou um conselho de administração com a presença de um membro independente e é auditada trimestralmente.

Com uma governança semelhante à de uma companhia aberta, o plano da Stratus é listar a Maestro no Bovespa Mais, segmento de acesso da BM&FBovespa, mesmo sem realizar uma oferta de ações em um primeiro momento, disse Camões. A expectativa é que a listagem ocorra em 2015, mas o executivo não descarta que o processo ocorra ainda neste ano.

Fonte: Jornal Valor Econômico

Maestro Frotas