Stratus investe R$ 55 milhões na Maestro - Maestro Frotas




Stratus investe R$ 55 milhões na Maestro

Por Alberto Komatsu | De São Paulo

O fundo de private equity Stratus, com uma carteira de US$ 300 milhões de investimentos sob sua gestão, anuncia hoje um aporte de R$ 55 milhões na Maestro, empresa de terceirização de frota de veículos de São Paulo. É a décima quarta negociação do Stratus desde 1999, ano de sua fundação, com foco específico em empresas de médio porte.

A Maestro tem atualmente 2,4 mil veículos, mas com os recursos do Stratus pretende ter uma frota de 18 mil automóveis nos próximos cinco anos. “Temos olhado esse setor e conversamos com mais de 30 empresas. Procurávamos uma companhia com crescimento rápido para fortalecer essa expansão”, afirma o sócio-diretor do Stratus, Alberto Camões.

O Stratus passará a ter uma posição majoritária na Maestro, “de mais de 50%”, segundo Camões. A Maestro foi fundada pela família Lewkovicz. Esta é dona do grupo Aba, que reúne a Maestro e uma rede de concessionárias de veículos. A Maestro conta com um conselho de administração com cinco integrantes. O fundo terá três cadeiras no conselho e vai nomear o diretor financeiro da empresa, Carlos Alves, que veio da Unidas.

Uma das duas vagas restantes do conselho ficará com a família Lewkovicz. A última deverá ser ocupada por um conselheiro independente, contratado no mercado. Mesmo quando o Stratus tem uma posição minoritária em alguma empresa, Camões diz que sempre é fechado um acordo que dá poder de veto em questões estratégicas, como novos investimentos.

“Praticamente cem por cento dos recursos serão utilizados para a expansão da frota”, diz o presidente da Maestro, Fabio Lewkowicz. O German Investment Corporation (DEG), banco de fomento do governo alemão, é coinvestidor do Stratus na Maestro.

O fundo de private equity tem duas frentes principais de atuação. A primeira é a de aquisições em diversos setores para consolidação (“growth/buyout”), que é o caso da Maestro. O Stratus também atua em investimentos voltados à sustentabilidade (“cleantech”). Em fevereiro de 2010 foram investidos R$ 120 milhões na Amyris, empresa de desenvolvimentos de combustíveis a partir de insumos renováveis.

O grupo Aba, além da Maestro, tem uma rede de sete concessionárias das marcas General Motors, Honda e Harley-Davidson na Grande São Paulo.

A Maestro integra um mercado que movimentou R$ 5,1 bilhões em 2010, segundo dados da Associação Brasileira das Locadoras de Automóveis, que inclui locadoras de carros e empresas de terceirização de frota.

Embora 100% do seu faturamento, não divulgado, seja gerado pela terceirização de frotas, a Maestro acaba tendo como concorrentes empresas de grande porte como a Localiza, que tem um terço de seus resultados provenientes da terceirização de frota. De janeiro a setembro, a receita líquida da Localiza cresceu 20,9% na comparação anual, para R$ 2,1 bilhões. Em agosto, a Localiza anunciou um investimento de R$ 2,7 bilhões nos próximos 19 meses para a compra de 100 mil veículos, o maior desembolso em 38 anos de atividade.

Pelo menos mais três empresas de terceirização de frota anunciaram investimentos neste ano. Em setembro, a Let’s, de Araraquara, divulgou plano de investir R$ 470 milhões até 2015 para ampliar sua frota dos atuais 6 mil veículos para 10 mil automóveis.

A holandesa Leaseplan também quer aumentar a frota de 7 mil para 20 mil veículos em cinco anos. Com isso, os ativos no país somarão R$ 1 bilhão. A Arval, controlada pelo banco europeu BNP Paribas, planeja encerrar 2011 com 10 mil veículos, mas sua meta é desembolsar R$ 823 milhões para ter 25 mil unidades até o fim de 2013.

Link da matéria: Valor Econômico

Maestro Frotas